Escolas estaduais da capital paulista estão criando rádios internas para entreter os alunos durante o intervalo das aulas. Quando toca o sinal para o intervalo, os jovens começam a colocar em prática algumas das ações que já fazem a diferença na escola. Entre elas, está a coordenação da rádio da escola, espaço que conta com caixas de som e um computador, no qual os gremistas colocam músicas para os alunos curtirem a tradicional “hora do recreio”.

 

É exatamente o que fazem os alunos da E.E. Dr. Alberto Cardoso de Mello Neto, na zona norte, da capital. De segunda à sexta-feira, integrantes do Grêmio Estudantil levam ao ar duas edições de um programa ao vivo de 20 minutos cada – de manhã e à tarde. A programação musical varia a cada dia e vai do samba ao rock. Além das músicas, os 12 integrantes ‘radialistas’ utilizam os equipamentos e o “estúdio” para eventos da escola e para divulgação de recados de interesse de professores e funcionários da unidade.

 

Na E.E. Ítalo Betarello, também na zona norte, a sexta-feira foi o dia escolhido para a programação de rádio. Durante 15 minutos, os alunos da Rádio Betarello misturam as músicas pedidas pelos estudantes da unidade com notícias culturais que envolvem a cidade de São Paulo.

 

Os alunos da E.E. Alexandre Von Humboldt, na zona oeste, também desenvolvem um projeto de radiodifusão. Por lá, os alunos entram no ar no horário do intervalo de aulas para passar recados e tocar música nas áreas comuns da escola. Essa prática também é feita em outras escolas de diversas cidades pelo Brasil.